25 de jan de 2010

Meu (amado) filósofo

Namorar um filósofo é divertido! Um namorado comum me perguntaria: Oi, amor, você dormiu bem esta noite? O meu namorado, além de perguntar isso, pergunta também: Amor, qual a relação entre o tempo e o espaço? Por que a nossa natureza limita-nos a determinadas ações? Qual o destino dos pensamentos que não foram produzidos, que ainda estão no mundo das idéias?
Enfim..Ele é, sim, o MEU filósofo..Não pelo fato de que eu o possuo (não o possuo), mas pelo fato de que ele vive dentro de mim na mesma intensidade em que vive fora. Ou seja, dentro de mim ele é refúgio, fora, sobrevivência. E eu peço a Deus que ele sinta o meu amor sempre, mesmo depois dos olhos pararem de exergar e as mãos perderem o tato, pois o meu amor deve ser sentido na imutável alma e se não for, não é amor.

Dedicado a Alberth Moreira : Chuva que inunda minha vida de felicidade. A chuva mais sincera, mais sutil, mais simples e mais apaixonante. ♥

Um comentário:

Sua vez de falar :)

25 de jan de 2010

Meu (amado) filósofo

Namorar um filósofo é divertido! Um namorado comum me perguntaria: Oi, amor, você dormiu bem esta noite? O meu namorado, além de perguntar isso, pergunta também: Amor, qual a relação entre o tempo e o espaço? Por que a nossa natureza limita-nos a determinadas ações? Qual o destino dos pensamentos que não foram produzidos, que ainda estão no mundo das idéias?
Enfim..Ele é, sim, o MEU filósofo..Não pelo fato de que eu o possuo (não o possuo), mas pelo fato de que ele vive dentro de mim na mesma intensidade em que vive fora. Ou seja, dentro de mim ele é refúgio, fora, sobrevivência. E eu peço a Deus que ele sinta o meu amor sempre, mesmo depois dos olhos pararem de exergar e as mãos perderem o tato, pois o meu amor deve ser sentido na imutável alma e se não for, não é amor.

Dedicado a Alberth Moreira : Chuva que inunda minha vida de felicidade. A chuva mais sincera, mais sutil, mais simples e mais apaixonante. ♥

Um comentário:

Sua vez de falar :)