30 de jul de 2010

Ousadia


A mudança exige persistência, mas ser persistente não é fácil. Persistir é ousar e este último assemelha-se a uma onda: evoluindo e mudando num percurso ritmado e transparente; de modo que, para aquele que contemplasse de fora, na areia, todas as ondas parecessem iguais, entretanto, ao observar dentro do mar, ali encontrasse um espetáculo sem igual. 


Assim é a ousadia - furiosa por dentro, mas compenetrada por fora - para que não fuja dos limites da razão e transgrida regras de boa convivência, afinal, não é agradável alguém extremamente mutante e maleável, que se altere à mínima situação. [Adaptar-se às situações adversas não significa destruir um 'eu' antigo e reconstruir um novo, supostamente preparado para a dada situação, se isto fosse bom, ninguém teria personalidade, nome, cidade, família ou trabalho, seríamos líquidos colocados e recolocados em jarras de diferentes formas, sendo nosso papel, automaticamente, assumir a forma da jarra da vez, sem questionar, interrogar ou ao menos, entender o porquê de tudo aquilo.]

Assim, apenas através do nosso comportamento ousado seremos capazes de alcançar as mudanças necessárias, em tempos acertados e medidas exatas; pois, às vezes, as 'jarras' do dia-a-dia modificam-se de acordo com a nossa forma, sem que precisemos mudar a favor delas. Isto sim é ousadia.

27 de jul de 2010

Treinando o pulo!

 

 Paulino Neves - MA



Papagaio engraçado (Só bebe cerveja!)

   

                   Vídeo filmado em Paulino Neves - MA, no bar do Sandro. O papagaio alcoólatra é animal de estimação do dono do bar (Vcs já podem imaginar a situação do bicho!) =)

The Flash

Olá,


Postagem ultra rápida, só para deixar dois recados:

- Como prometido, as fotos de Barreirinhas e Paulino Neves já estão postadas no facebook.
Dê uma conferida clicando aqui, ou acesse o banner na barra direita deste blog. ;)

- Odeio auto-escola!





See you!

22 de jul de 2010

A história de dois solitários


              Era uma vez uma poesia. Esta poesia foi concebida numa noite sem lua, quando dois amantes se viram pela última vez. Desde então, esta poesia percorre as páginas esquecidas do sentimento e tristemente procura alguém a quem possa amar. Eis a poesia solitária:

Preciso do teu abraço,
da tua voz no pé do meu ouvido.

Preciso que a chuva continue,
para que fiques aqui comigo.

Preciso da tua mão, no meu corpo a descobrir.
Preciso do teu sorriso, para minh'alma colorir.

[Preciso de ti]

                    O que a Poesia Solitária não sabia era que não muito distante, existia uma Bailarina que vivia igualmente só. Sua dança suave transmitia a dor de alguém que não tinha a quem amar...



                   Foi quando uma brisa leve arrastou a Poesia Solitária até os pés da Bailarina; ela abaixou-se para pegar a folha de papel, leu cada linha da Poesia Solitária e sorriu alegremente.
                   Desta forma, a poesia solitária e a bailarina uniram suas tristezas e nunca mais sentiram-se sós. 

FIM!

Obs.:  Apesar de eu ter escolhido dois personagens lúdicos para ilustrar esta história, jamais duvidem da veracidade da mesma.

19 de jul de 2010

Segunda-feira....

Geralmente minhas segundas são chatas, preguiçosas e lentas. Mas esta em especial está feliz!
Voltei à Ilha com baterias recarregadas graças a uma semana que passei descansando em Paulino Neves e Barreirinhas - MA. (Vou postar as fotos no facebook em breve ^^)

Também estou feliz por estar novamente perto do meu amor, sem aquela saudade cortante e angustiante que estava nos matando aos poucos.  E por último, mas não menos importante, voltei à internet, ao jogo, à tv paga, às barras de chocolate, macarrão Cup Noodles, ballet, celular e tudo mais que não pude ter naquela terra de areia e sol. rs (É, as vezes eu cuspo no prato que comi)

No mais, ótima semana a todos e até breve. =)

13 de jul de 2010

Terça, 13. Dia do Rock, longe da minha balada preferida.

Mais uma postagem programada com muito carinho; a diferença é que esta é endereçada a alguém de quem sinto muita falta: Alberth. 
Querido, hoje é terça feira e meus dias aqui não estão muito longe de terminar. Escolhi esta música, pois é uma das que mais cantamos juntos e, no momento, a que melhor retrata nosso sentimento. Eu te amo, não esqueça.

Chega de saudade


Vai minha tristeza
E diz a ela que sem ela não pode ser
Diz-lhe numa prece
Que ela regresse
Porque eu não posso mais sofrer
Chega de saudade
A realidade é que sem ela
Não há paz não há beleza
É só tristeza e a melancolia
Que não sai de mim
Não sai de mim
Não sai
Mas, se ela voltar
Se ela voltar que coisa linda!
Que coisa louca!
Pois há menos peixinhos a nadar no mar
Do que os beijinhos
Que eu darei na sua boca
Dentro dos meus braços, os abraços
Hão de ser milhões de abraços
Apertado assim, colado assim, calado assim,
Abraços e beijinhos e carinhos sem ter fim
Que é pra acabar com esse negócio
De você viver sem mim
Não quero mais esse negócio
De você longe de mim
Vamos deixar esse negócio
De você viver sem mim



Vinícius de Moraes

P.S.: Essa saudade não é para sempre. Para sempre é nosso amor.Sinta meu abraço ^^ Te amo

10 de jul de 2010


Olá, pessoitas!



Esta é uma postagem programada; ou seja, enquanto vocês estão lendo, no conforto de suas casas, estou eu provavelmente enfiada no mato ou na areia de Barreirinhas-MA.
Não se assustem, não estou foragida da polícia nem coisa parecida (ainda), mas se estivesse, com certeza não iria para um lugar tão tão tão......ensolarado. 

Aí vocês perguntam: Pollyana, se tu não gosta de sol, não gosta de mato e nem de areia, pra que raios tu foi pra Barreirinhas?
Eu respondo, meus caros:

PORQUE EU QUIS. 

Bye!

P.S.: Alberth, te amo muito e estou morrendo de saudades. Não vejo a hora de estar novamente em seus braços. Se cuida e fique longe do perigo. (Dando uma de Edward Cullen agora ¬¬)

9 de jul de 2010

É isto





Hoje só consigo pronunciar uma frase. A mais lacinante, singela e pura que jamais foi dita, também a que tanto ecoa, grita e canta dentro das paredes do meu coração. A única que merece ser dita e a que resume tudo, sem dizer quase nada: 

Eu te amo


e só.




6 de jul de 2010

Victoria Frances

A internet é uma coisa maravilhosa!

 Certa noite, eu e @alberthmoreira estávamos vasculhando a rede, quando encontramos obras de uma mulher chamada Victoria Frances. Nos interessamos e visitamos o site oficial da artista, nos interessamos mais ainda e tentamos mandar um e-mail a ela a fim de nos informar sobre como funcionam as vendas de suas obras. Enfim.. fato é que ficamos horas lendo e admirando esta mulher, que eu nunca tinha ouvido falar!

Suas obras têm o romantismo gótico como o tema central, o que deixam suas ilustrações ainda mais belas e singulares. Retratam também o sofrimento, anjos caídos, vampiros e, é claro, toda a tragédia natural dos seres humanos. 

Estas aqui expostas são algumas de suas obras. Eu sei que você gostaria de ter o talento dela,  mas cuidado! Inveja mata! (rsrs...)


Se gostaram, visitem o site oficial da pintora; lá tem muito mais para vocês se deliciarem!






P.S.: Se quiserem as imagens em alta resolução, acessem o link.

Até!

30 de jul de 2010

Ousadia


A mudança exige persistência, mas ser persistente não é fácil. Persistir é ousar e este último assemelha-se a uma onda: evoluindo e mudando num percurso ritmado e transparente; de modo que, para aquele que contemplasse de fora, na areia, todas as ondas parecessem iguais, entretanto, ao observar dentro do mar, ali encontrasse um espetáculo sem igual. 


Assim é a ousadia - furiosa por dentro, mas compenetrada por fora - para que não fuja dos limites da razão e transgrida regras de boa convivência, afinal, não é agradável alguém extremamente mutante e maleável, que se altere à mínima situação. [Adaptar-se às situações adversas não significa destruir um 'eu' antigo e reconstruir um novo, supostamente preparado para a dada situação, se isto fosse bom, ninguém teria personalidade, nome, cidade, família ou trabalho, seríamos líquidos colocados e recolocados em jarras de diferentes formas, sendo nosso papel, automaticamente, assumir a forma da jarra da vez, sem questionar, interrogar ou ao menos, entender o porquê de tudo aquilo.]

Assim, apenas através do nosso comportamento ousado seremos capazes de alcançar as mudanças necessárias, em tempos acertados e medidas exatas; pois, às vezes, as 'jarras' do dia-a-dia modificam-se de acordo com a nossa forma, sem que precisemos mudar a favor delas. Isto sim é ousadia.

27 de jul de 2010

Treinando o pulo!

 

 Paulino Neves - MA



Papagaio engraçado (Só bebe cerveja!)

   

                   Vídeo filmado em Paulino Neves - MA, no bar do Sandro. O papagaio alcoólatra é animal de estimação do dono do bar (Vcs já podem imaginar a situação do bicho!) =)

The Flash

Olá,


Postagem ultra rápida, só para deixar dois recados:

- Como prometido, as fotos de Barreirinhas e Paulino Neves já estão postadas no facebook.
Dê uma conferida clicando aqui, ou acesse o banner na barra direita deste blog. ;)

- Odeio auto-escola!





See you!

22 de jul de 2010

A história de dois solitários


              Era uma vez uma poesia. Esta poesia foi concebida numa noite sem lua, quando dois amantes se viram pela última vez. Desde então, esta poesia percorre as páginas esquecidas do sentimento e tristemente procura alguém a quem possa amar. Eis a poesia solitária:

Preciso do teu abraço,
da tua voz no pé do meu ouvido.

Preciso que a chuva continue,
para que fiques aqui comigo.

Preciso da tua mão, no meu corpo a descobrir.
Preciso do teu sorriso, para minh'alma colorir.

[Preciso de ti]

                    O que a Poesia Solitária não sabia era que não muito distante, existia uma Bailarina que vivia igualmente só. Sua dança suave transmitia a dor de alguém que não tinha a quem amar...



                   Foi quando uma brisa leve arrastou a Poesia Solitária até os pés da Bailarina; ela abaixou-se para pegar a folha de papel, leu cada linha da Poesia Solitária e sorriu alegremente.
                   Desta forma, a poesia solitária e a bailarina uniram suas tristezas e nunca mais sentiram-se sós. 

FIM!

Obs.:  Apesar de eu ter escolhido dois personagens lúdicos para ilustrar esta história, jamais duvidem da veracidade da mesma.

19 de jul de 2010

Segunda-feira....

Geralmente minhas segundas são chatas, preguiçosas e lentas. Mas esta em especial está feliz!
Voltei à Ilha com baterias recarregadas graças a uma semana que passei descansando em Paulino Neves e Barreirinhas - MA. (Vou postar as fotos no facebook em breve ^^)

Também estou feliz por estar novamente perto do meu amor, sem aquela saudade cortante e angustiante que estava nos matando aos poucos.  E por último, mas não menos importante, voltei à internet, ao jogo, à tv paga, às barras de chocolate, macarrão Cup Noodles, ballet, celular e tudo mais que não pude ter naquela terra de areia e sol. rs (É, as vezes eu cuspo no prato que comi)

No mais, ótima semana a todos e até breve. =)

13 de jul de 2010

Terça, 13. Dia do Rock, longe da minha balada preferida.

Mais uma postagem programada com muito carinho; a diferença é que esta é endereçada a alguém de quem sinto muita falta: Alberth. 
Querido, hoje é terça feira e meus dias aqui não estão muito longe de terminar. Escolhi esta música, pois é uma das que mais cantamos juntos e, no momento, a que melhor retrata nosso sentimento. Eu te amo, não esqueça.

Chega de saudade


Vai minha tristeza
E diz a ela que sem ela não pode ser
Diz-lhe numa prece
Que ela regresse
Porque eu não posso mais sofrer
Chega de saudade
A realidade é que sem ela
Não há paz não há beleza
É só tristeza e a melancolia
Que não sai de mim
Não sai de mim
Não sai
Mas, se ela voltar
Se ela voltar que coisa linda!
Que coisa louca!
Pois há menos peixinhos a nadar no mar
Do que os beijinhos
Que eu darei na sua boca
Dentro dos meus braços, os abraços
Hão de ser milhões de abraços
Apertado assim, colado assim, calado assim,
Abraços e beijinhos e carinhos sem ter fim
Que é pra acabar com esse negócio
De você viver sem mim
Não quero mais esse negócio
De você longe de mim
Vamos deixar esse negócio
De você viver sem mim



Vinícius de Moraes

P.S.: Essa saudade não é para sempre. Para sempre é nosso amor.Sinta meu abraço ^^ Te amo

10 de jul de 2010


Olá, pessoitas!



Esta é uma postagem programada; ou seja, enquanto vocês estão lendo, no conforto de suas casas, estou eu provavelmente enfiada no mato ou na areia de Barreirinhas-MA.
Não se assustem, não estou foragida da polícia nem coisa parecida (ainda), mas se estivesse, com certeza não iria para um lugar tão tão tão......ensolarado. 

Aí vocês perguntam: Pollyana, se tu não gosta de sol, não gosta de mato e nem de areia, pra que raios tu foi pra Barreirinhas?
Eu respondo, meus caros:

PORQUE EU QUIS. 

Bye!

P.S.: Alberth, te amo muito e estou morrendo de saudades. Não vejo a hora de estar novamente em seus braços. Se cuida e fique longe do perigo. (Dando uma de Edward Cullen agora ¬¬)

9 de jul de 2010

É isto





Hoje só consigo pronunciar uma frase. A mais lacinante, singela e pura que jamais foi dita, também a que tanto ecoa, grita e canta dentro das paredes do meu coração. A única que merece ser dita e a que resume tudo, sem dizer quase nada: 

Eu te amo


e só.




6 de jul de 2010

Victoria Frances

A internet é uma coisa maravilhosa!

 Certa noite, eu e @alberthmoreira estávamos vasculhando a rede, quando encontramos obras de uma mulher chamada Victoria Frances. Nos interessamos e visitamos o site oficial da artista, nos interessamos mais ainda e tentamos mandar um e-mail a ela a fim de nos informar sobre como funcionam as vendas de suas obras. Enfim.. fato é que ficamos horas lendo e admirando esta mulher, que eu nunca tinha ouvido falar!

Suas obras têm o romantismo gótico como o tema central, o que deixam suas ilustrações ainda mais belas e singulares. Retratam também o sofrimento, anjos caídos, vampiros e, é claro, toda a tragédia natural dos seres humanos. 

Estas aqui expostas são algumas de suas obras. Eu sei que você gostaria de ter o talento dela,  mas cuidado! Inveja mata! (rsrs...)


Se gostaram, visitem o site oficial da pintora; lá tem muito mais para vocês se deliciarem!






P.S.: Se quiserem as imagens em alta resolução, acessem o link.

Até!