29 de abr de 2011

Poema Natura




A idéia é a rotina do papel.
O céu é a rotina do edifício.
O início é a rotina do final.
A escolha é a rotina do gosto.
A rotina do espelho é o oposto.

A rotina do perfume é a lembrança.
O pé é a rotina da dança.
A rotina da garganta é o rock.
A rotina da mão é o toque.

Julieta é a rotina do queijo.
A rotina da boca é o desejo.
O vento é a rotina do assobio.
A rotina da pele é o arrepio.

A rotina do caminho é a direção.
A rotina do destino é a certeza.
Toda rotina tem sua beleza.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua vez de falar :)

29 de abr de 2011

Poema Natura




A idéia é a rotina do papel.
O céu é a rotina do edifício.
O início é a rotina do final.
A escolha é a rotina do gosto.
A rotina do espelho é o oposto.

A rotina do perfume é a lembrança.
O pé é a rotina da dança.
A rotina da garganta é o rock.
A rotina da mão é o toque.

Julieta é a rotina do queijo.
A rotina da boca é o desejo.
O vento é a rotina do assobio.
A rotina da pele é o arrepio.

A rotina do caminho é a direção.
A rotina do destino é a certeza.
Toda rotina tem sua beleza.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua vez de falar :)