27 de jul de 2011

Não me permito ficar triste, mas a permissão não vem sempre de dentro de mim. Às vezes, queria continuar longe, sonhando, tangenciando a realidade; entretanto, outrora, pergunto-me o que é -de fato - a minha realidade. Será o sonho? Será o ódio? Será a doçura? Não sei.

Tu sabes? 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua vez de falar :)

27 de jul de 2011

Não me permito ficar triste, mas a permissão não vem sempre de dentro de mim. Às vezes, queria continuar longe, sonhando, tangenciando a realidade; entretanto, outrora, pergunto-me o que é -de fato - a minha realidade. Será o sonho? Será o ódio? Será a doçura? Não sei.

Tu sabes? 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua vez de falar :)